Ligamento Cruzado Anterior (LCA)

O que é o ligamento cruzado anterior?

O ligamento cruzado anterior (LCA) do joelho é um ligamento intra-articular, ou seja, fica dentro da articulação do joelho. Fundamental na estabilização anteroposterior e rotatória do joelho, esse ligamento evita que a tíbia se desloque adiante em relação ao fêmur ou faça rotação interna. Em caso de hiperextensão, causa um arco reflexo medular chamado de reflexo de Lerichem, o qual ativa musculatura tanto anterior quanto posterior, protegendo o joelho via propriocepção. A exemplo de movimento de chute, o joelho é flexionado e gradativamente extendido, apresentando uma leve rotação externa nos últimos graus de extensão.

O LCA possui em sua composição dois feixes ou bandas que trabalham em conjunto, ainda que tenham funções distintas. A banda anteromedial (AM) é responsável por resistir aos esforços de deslocamento da tíbia em relação ao fêmur com o joelho em flexão, já a banda posterolateral (PL) desenvolve importante papel ao resistir aos esforços de rotação do joelho perto da extensão deste.

Portanto, as pessoas que sofrem uma lesão (ruptura) desse ligamento, podem apresentar dificuldade em realizar algumas atividades físicas, principalmente, em mudanças bruscas de direção com movimentos rápidos. Tal situação, pode acontecer nos esportes, como o futebol, handebol, basquetebol, tênis, entre outros. Por causa da instabilidade articular desenvolvida na ruptura ligamentar, o individuo pode ficar mais passível a sofrer outras lesões no joelho, como as lesões de menisco e da cartilagem, levando aos processos prematuros de degeneração articular.

Essa ruptura ligamentar é comumente gerada devido a um trauma torcional do joelho. Quando isso ocorre o pé permanece fixo no chão, enquanto há uma rotação do corpo. Tal movimento é praticado repetidamente durante atividades esportivas podendo gerar uma lesão completa ou incompleta do ligamento. Dessa maneira atletas profissionais, amadores e recreacionais são os mais acometidos com esse tipo de lesão.

Ruptura Parcial do Ligamento Cruzado Anterior

O tratamento da lesão do ligamento cruzado anterior pode ser conservador ou cirúrgico. Em caso do paciente apresentar instabilidade em seu joelho, a qual prejudique suas atividades de vida diária ou realização de atividades físicas, o tratamento é cirúrgico, com retorno gradual a suas práticas diárias através de acompanhamento médico e fisioterapêutico. Usualmente, a reconstrução ligamentar é indicada aos jovens, especialmente se essa for uma ruptura total, de tal forma que seja possível continuar a prática de atividades esportivas em que há necessidade da realização de movimentos de rotação. Já pessoas que não costumam fazer atividade física ou a praticam de forma leve a moderada, como idosos, é possível optar pelo tratamento conservador através da fisioterapia. Dessa forma, um acompanhamento multiprofissional é indispensável para avaliar e planejar a melhor abordagem, sempre levando em consideração as necessidades de vida diária de cada pessoa.

A prevenção, por sua vez, é a melhor forma de evitar a ruptura do ligamento cruzado anterior. Logo, deve-se levar em conta muitas variáveis como a periodicidade de treinamento, controle de cargas, nutrição, tempo de recuperação, entre outros aspectos importantes no desenvolvimento muscular para o treinamento preventivo.

Referências:

TASHIRO, Y., et al. Anterior cruciate ligament tibial insertion site is elliptical or triangular shaped in healthy young adults: high-resolution 3-T MRI analysis. Knee Surg Sports Traumatol Arthrosc,26: 485, 2018.

SANTOS, H., et al. Correlation between eccentric training and functional tests in subjects with reconstructed ACL. Rev Bras Med Esporte,  São Paulo,  v. 24, n. 6, p. 471-476,  Dec.  2018.

Esse conteúdo é produto da Pós-Graduação em Ciências da Saúde Aplicada ao Esporte e à Atividade Física - Universidade Federal de São Paulo – Unifesp em parceria com a MedPhone-Tecnologia em Saúde.                             http://medicinadoesporte.sites.unifesp.br/

TEMA: "Comparação da força muscular entre quadríceps e isquiotibiais após exercícios com 30% da força máxima com e sem oclusão vascular periférica no pós-operatório de ligamento cruzado anterior: um ensaio controlado randomizado."

Pelo aluno: Rafael Francisco Vieira de Melo
http://lattes.cnpq.br/3656657876413287

Orientado pelo: Prof. Dr. Moisés Cohen
http://lattes.cnpq.br/5558512244477786

Co-orientado pelo: Prof. Dr. William Komatsu
http://lattes.cnpq.br/1898450330418640