Gotas e vírus no ar e transmissão bacteriana. ⁠Em um recente artigo do epidemiologista William P. Hanage, PhD, para o portal do Medscape, ele analisa alguns estudos sobre a presença de RNA do SARS-CoV-2 em aerosol. Hanage destaca que⁠ "Os níveis de RNA de SARS-CoV-2 no ar na maioria das áreas públicas (eram) indetectáveis, exceto em duas áreas propensas a aglomeração".

Isso ilustra bem o valor do distanciamento (evitando a aglomeração). "⁠Este estudo deve colocar em perspectiva as preocupações sobre o potencial de transmissão aérea, além de ambientes hospitalares, em áreas bem ventiladas ou ao ar livre. Também sugere a importância de manter a ventilação enquanto se cuida no ambiente doméstico, observa Hanage.

A ilustração que usamos, foi traduzida com base na original de Ian Mackay, PhD , da Universidade de Queensland, onde ilustra que partículas menores estão associadas ao potencial de transmissão em distâncias maiores, mas o tamanho das partículas não é uniforme. Haverá uma distribuição de tamanho; não é tudo ou nada."Mesmo que a transmissão aérea possa acontecer, isso não significa que seja o modo dominante de transmissão ou o principal contribuinte da dinâmica. A evidência que temos agora ainda é que contatos próximos são mais importantes. Vou revisitar isso à medida que as evidências evoluem.", conclui Hanage.

Você pode encontrar o artigo completo em: https://www.medscape.com/viewarticle/930797

Confira o Artigo completo sobre a Análise aerodinâmica do RNA SARS-CoV-2 em dois hospitais em Wuhan em:
https://www.nature.com/articles/s41586-020-2271-3